Edital publicado do XXIV Exame da OAB: novidades!

Comentários (0)

Edital publicado

O edital da última tentativa em passar no Exame de Ordem do ano foi publicado. O XXIV Exame, oficialmente, está na rua. A prova, como se sabe, é dentro de 2 meses, ou seja, 19 de novembro. Também é o ÚLTIMO exame antes de cobrarem a reforma trabalhista. Motivação a mais para ser o seu ÚLTIMO exame para prestar (para quem vem de outras reprovações, especialmente, da última prova pandemônica e que reprovou mais de um Maracanã lotado!).

Destaquei, sinteticamente, 5 PONTOS do edital para você ter um panorama do que é ESSENCIAL para começar os estudos.

1. DATA E O VALOR DA INSCRIÇÃO

As inscrições começam hoje, dia 19 de setembro e terminam dia 29 de setembro. O valor da inscrição, depois do último aumento, continua os altíssimos R$ 260,00 (a OAB tá na hora de parcelar em pelo menos 3x este valor sem juros). O edital trata das opções de ISENÇÃO. Confere lá no item 2.6 do edital se não é o seu caso.

2. QUEM PODE SE INSCREVER

A OAB andou alterando esta regra recentemente. Como se sabe, para realizar o Exame de Ordem os estudantes de Direito devem estar matriculados nos últimos dois semestres ou no do último ano do curso de graduação em Direito. Porém, antes o edital fixava uma data, qual seja, da publicação do edital. Agora, a comprovação fica condicionada dentro do segundo semestre de 2017 [ponto 1.4.3 do edital]. Mas lembre:  “os estudantes de Direito que declararem falsamente estarem matriculados nos últimos dois semestres ou no último ano do curso de graduação em Direito  no segundo semestre de 2017” responderão por crime de falsidade ideológica (art. 299, do CP) e estarão sujeitos à eventual processo de averiguação de idoneidade moral perante a OAB (art. 8, inciso VI, da Lei 8.906/94).

3. ONDE PODERÁ REALIZAR A PROVA

Esta regra é clara: “o examinando prestará o Exame de Ordem no Conselho Seccional da OAB no estado em que concluiu o curso de graduação em Direito ou no estado sede de seu domicílio eleitoral, sendo vedada a realização de etapa subsequente em local diverso do inicialmente escolhido”. São estas 2 OPÇÕES. Há exceção, desde que seja fundamentada. Já as cidades dentro do referido estado podem ser escolhidas do modo que você preferir, desde que seja aquelas da lista do edital – ANEXO I.

4. DAS PROVAS E CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O capítulo 3 do edital traz instruções sobre as provas da 1ª e 2ª fases. Como se sabe, são 80 questões com 4 alternativas e na 2ª fase, uma peça e 4 questões dissertativas. A duração é 5 horas e as datas são estas:

  • 1ª FASE – 19 DE NOVEMBRO
  • 2ª FASE – 21 DE JANEIRO DE 2018

As disciplinas continuam sendo as mesmas DEZESSETE. Também não há modificação sobre as sete opções para 2ª fase. O conteúdo programático ainda é inexistente para 1ª fase, apesar de um grupo de professores terem se manifestado a favor da sua inclusão, e para 2ª fase está lá no ANEXO II. É importante destacar, que o MAPA DA PROVA da 1ª fase MUDOU no último XXIII Exame. Para quem está chegando agora, o número de questões de ÉTICA foi reduzido para 8. Quer conhecer e salvar o novo mapa? Clique aqui!

Lembro que o número de questões por disciplina não precisa estar avisado no edital, exceto o percentual mínimo de 15% (Estatuto da Advocacia e da OAB e seu Regulamento Geral, Código de Ética e Disciplina, Direitos Humanos e Filosofia do Direito). Portanto, fique atento, pois a prova pode ainda mudar. Quanto às novas disciplinas, tratamos especificamente num artigo dedicado a este tema, clique aqui.

5. CRONOGRAMA GERAL DE EVENTOS

Lembro que o reaproveitamento tem edital específico. Está aí o ANEXO V atualizado com o XXIVº Exame de Ordem Unificado.

Cronograma

E AS NOVIDADES DO EDITAL? Já tínhamos antecipados uma semana antes que o edital do XXIV Exame não traria mudanças ou novidades relevantes [clique aqui]. Tenho certeza que hoje todos esperam pelo pior. O pior seria o aumento de disciplinas, uma nova fase, a redução de provas por ano, enfim, há muitas coisas piores que poderiam ocorrer. Para os “agourentos”, não foi desta vez.

[ATUALIZADO] Mancada da OAB: incluíram a reforma trabalhista no conteúdo de 2ª fase da OAB. Entendemos que não poderia ser cobrada. Estamos contatando a OAB para explicações e mudanças. Veja que o edital é bastante claro:

3.6.14.4. Legislação com entrada em vigor após a data de publicação deste edital, bem como alterações em dispositivos legais e normativos a ele posteriores não serão objeto de avaliação nas provas, assim como não serão consideradas para fins de correção das mesmas. Em virtude disso, somente será permitida a consulta a publicações produzidas pelas editoras, sendo vedada a atualização de legislação pelos examinandos.

Bem, para os otimistasrealistas a Saraiva Aprova oferece [NÃO É PROMOÇÃO] uma solução perfeita para os seus sonhos: a aprovação ou seu dinheiro de volta! Não só você acredita que pode ser aprovado, mas a plataforma educacional da Editora Saraiva que conquistou o país também! É isso mesmo.

dinheirodevolta

Não só isso, mas recentemente fiz uma ANÁLISE FÁTICA dos 4 principais preparatórios do país que oferecem curso online para OAB. Uma pesquisa às cegas, sem identificar os nomes. Veja QUEM SE SAIU MELHOR: tire suas próprias conclusões, clicando aqui.

Faltando 60 dias para prova, ainda é possível realizar um preparatório? Com certeza! Agora, se você está correndo atrás de uma indicação BIBLIOGRÁFICA COMPLETA para os seus estudos de 1ª fase? Fizemos um artigo especial, indicando esta bibliografia. Corra lá, clicando aqui.

Ótimos estudos!

Como foi a 2ª fase do XXIII Exame da OAB

Comentários (6)

Neste domingo foi realizada a 2ª fase da OAB do XXIII Exame de Ordem. Um exame que será reservado na memória de quem acompanha este certame e pelos motivos que não gostaríamos de lembrar: a alta reprovação da 1ª fase. Diga-se, “histórica”!

O sentimento era de que esta 2ª fase seria “amena”. Claro, é o que reza a lenda urbana: uma prova impossível na 1ª fase, uma prova possível na 2ª fase. É a tal teoria do equilíbrio ou da compensação.

E assim, a 2ª fase se deu.

Segundo o gabarito preliminar, as peças foram estas:

  • ADMINISTRATIVO – agravo de instrumento
  • CIVIL – apelação
  • CONSTITUCIONAL – MS
  • EMPRESARIAL – ação revocatória
  • PENAL – memoriais
  • TRABALHO – contestação
  • TRIBUTÁRIO – ação de repetição de indébito

Observando bem, quando cai recurso e o mais do mesmo, o pessoal vai ao delírio! Nós montamos um E-BOOK que você pode baixar gratuitamente lá no blog da Saraiva Aprova com todas as peças até então cobradas, clique aqui.

Mas, em geral, sobre as provas em si, não vi indignações ou qualquer nota que se possa destacar sobre o grau de dificuldade. Claro, a 2ª fase sempre é difícil, mas foi bastante acessível comparado algumas provas recentes. O pessoal da repescagem, que não estava envolvido com a 1ª fase do XXIII, deve ter adorado!

Enfim, do que eu entendo mesmo (civil e empresarial), achei dentro do esperado. Sobre as demais, a matéria estava prevista dentro dos volumes da nossa coleção Completaço 2ª Fase OAB da Editora Saraiva de teoria e questões dissertativas e peças (e modelos) comentadas. Saiba mais, clicando abaixo.

completaço 2 fase

Agora é segurar as emoções até a publicação da primeira lista de aprovados! Boa sorte!

5 Dicas finais para 2ª fase do Exame da OAB

Comentários (3)

five

Sabe quando pinta a “segunda-feira” da semana da prova da 2ª fase da OAB? Pois é, ao chegar à última semana antes da prova derradeira, da última batalha da “guerra” Exame de Ordem, muitos examinandos começam a buscar ajuda divina. Mas aqui não se trata de Deus ou religião, mas dos professores quem confiam.

Sei que muitos são “divindades” para os seus alunos ou pelo menos se acham a tal patamar, especialmente, entre eles, aqueles que buscam implicar no grande pronunciamento da “marmota da OAB”. Sabe marmota, aquele bichinho fofinho que os americanos inclusive denominam o Dia da Marmota? Pois é, o bichano prevê se o inverno será vigoroso ou não nos EUA numa tradição secular. Quem assistiu ao filme Feitiço do Tempo vai lembrar bem… (aquele que o sujeito fica preso no dia e ele se repete sempre, aliás, sensacional!).

Minha crítica (ácida, muitos irão concordar) porque mais prejudica do que ajuda a tal previsão que todo aluno de 2ª fase gosta de buscar na última semana antes da prova: qual peça que irá cair. Se eu fixar UMA, estou sendo irresponsável, porque o aluno irá se focar…. NAQUELA. Ocorre, como o título revela, há muitas outras dicas produtivas para a última semana.

É importante saber QUAIS AS PEÇAS QUE MAIS CAEM? Com certeza, mas essa pergunta deve ser feita no início da preparação para que o examinando tenha a ATENÇÃO nelas. Não que eles devam focar “apenas” nelas, mas ter uma atenção especial, mais nada do que isso. Inclusive, montamos um E-BOOK com estatísticas em cada disciplina sobre o assunto e que você pode baixar gratuitamente (clique na imagem abaixo).

peças-mais-cobradas-2-fase

Professor, então o que é RELEVANTE para a última semana antes da prova da 2ª fase?

Vamos pontuar elas abaixo, de forma objetiva e sintética, ok?

  • [1] Treine questões dissertativas – Ora, se você fez dezenas ou centenas de questões objetivas na 1ª fase porque não repetir o mesmo método na 2ª fase? Pois é, muita gente chega na última semana sem ter aberto as provas anteriores e tentando resolver as questões dissertativas. Se você está neste time, pegue URGENTEMENTE as últimas 5 provas e comece a resolver as questões. Compare suas respostas com o gabarito oficial. Provavelmente, você irá se deparar com repetição de temas, inclusive, de assuntos que você mal olhou. ALERTA! Pare tudo e vá estudá-los!
  • [2] Entenda como é feita a pontuação – Você já ouviu a expressão esportista “Vamos jogar com o regulamento debaixo dos braços”? Pois é, para a 2ª fase da OAB ninguém percebe quanto é fundamental compreender a pontuação de uma peça. Quanto às questões, é mais fácil, mas para as peças saber quanto vale acertar o direcionamento, a qualificação das partes, a estrutura em si e o acabamento, poucos se importam. Depois que você entende, ao realizar uma peça você estará, mentalmente, somando pontos, o que lhe deixará mais tranquilo durante a prova.
  • [3] Saiba o que NÃO pode fazer na prova – No mesmo dia da prova, ao terminá-la, minha caixa de emails e contatos aqui no blog EXPLODEM de perguntas. 99% delas são… “professor, fiz isso na prova, será que identifiquei ela?”. Ora, esta pergunta deveria ter sido feita antes! Mais uma vez, é preciso se preparar com o regulamento (edital) à vista. Já escrevemos diversos artigos sobre este assunto, então vou passar os links e vocês leem com atenção, ok? No final do post.
  • [4] Revise o seu código ou vade mecum – Como se sabe, cada vez mais os fiscais estão atentos às marcações na legislação e possíveis fraudes. Portanto, se você não quiser ter o seu amigão retirado no meio da prova, confira o que pode ou não pode. Dois textos para você acompanhar além do próprio edital: Marcações no Vade Mecum: você sabe? e Vade Mecum: marcações, remissões, clipes e post-it!
  • [5] Revise aquelas peças similares ou que geram confusão – O maior temor de um examinando é errar a peça. Só que os erros estão nos detalhes. Explico: na confusão de peças parecidas ou similares. Ninguém vai errar uma ação por contestação, p.ex. Podem errar na interpretação (o que de fato acontece) e errar um recurso. Assim, dentro da sua disciplina, procure aquelas peças que podem ser, facilmente, confundidas em razão de situações próximas, mas que um mísero detalhe pode ser toda a diferença. Estude estes detalhes!

Estas são 5 DICAS FINAIS para a semana da 2ª fase da OAB, nada de querer lhe dizer qual a peça que acho que vai cair. Lá em 2005 ou 2006, quando era um jovem professor, até poderia lhe responder, mas hoje o tempo afirma que é melhor para o aluno focar no que interessa, pois não adianta acertar a peça e errar o restante, você não concorda?

Por derradeiro, UMA DICA BÔNUS.

  • No dia da prova, ao abrir o caderno, avalie qual a peça que está sendo cobrada. Se identificar de imediato, ÓTIMO. Caso não consiga, pare e respire. Passe para avaliar as questões, para observar os temas (e não as respostas em si). O que você precisa antes de iniciar os rascunhos é ter um PANORAMA GERAL da prova. Ela vai estar difícil? Com certeza, mas com PACIÊNCIA é possível sobreviver a ela. São 5 horas e o tempo é curto. Você terá duas opções: 2,5 horas para peça ou 3 horas para peça. O restante para as questões. Veja que é possível planejar a prova, pois muita gente é reprovada por falta de… tempo! Então não tire os olhos do relógio, ok? E PACIÊNCIA, tenho certeza que você chega lá, porque seria diferente de todos os outros que foram aprovados antes de você??

Banner_Saraiva_Aprova-2

Novidades para o XXIV Exame da OAB?

Comentário (1)

news-OAB

O edital do XXIV Exame será publicado no próximo dia 19 de setembro, há pouco mais de 60 dias até a prova da 1ª fase (21/11). Pois bem, poderemos ter novidades neste edital que se avizinha?

Tenho minhas dúvidas. Como se sabe, o XXIII Exame da OAB será inesquecível no histórico das provas. Não só o índice malévolo de reprovados, mas como toda a reestruturação da própria prova da 1ª fase. Ainda, ao tempo deste texto, não sabemos ao certo como será a prova da 2ª fase, mas enfim, o que já temos em mãos é o suficiente para não esquecer este Exame.

Vejam bem. O edital do XXIII Exame não teve qualquer novidade. Por outro lado, foi a prova da 1ª fase que mais teve novidades em todas as edições, exceto a prova da redução de 100 questões para 80 e, que não me falha a memória, todos os examinandos já sabiam da alteração.

Por isso, creio que o XXIV Exame seguirá, como se diz, “come quieto”, ou seja, sorrateiro. Mudanças acontecem mais nas questões procedimentais de edital mesmo, como forma de pagamento, etc. e tal. Não quero pensar nisso, mas será que não pode haver inclusão de novas disciplinas?

Pois bem, é provável que em algum momento aconteça, mas será que pode ser de forma sorrateira sem estar na previsão do edital? Depois do XXIII tudo pode acontecer! O problema que o edital (dos exames anteriores) é “claro” sem ser tão transparente assim.

Disciplinas profissionalizantes obrigatórias e integrantes do currículo mínimo do curso de Direito, fixadas pela Resolução n. 9, de 29 de setembro de 2004, da CES/CNE, Direitos Humanos, Código do Consumidor, Estatuto da Criança e do Adolescente, Direito Ambiental, Direito Internacional, Filosofia do Direito, bem como Estatuto da Advocacia e da OAB, seu Regulamento Geral e Código de Ética e Disciplina da OAB.

Nesta lista há 7 disciplinas, mas cadê as outras 10? Está na citação da Resolução 9. Portanto, todas as disciplinas que contém a tal resolução e que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Direito. Esta resolução de 2004 foi alterada e atualizada pela Resolução CNE/CES nº 3, de 14 de julho de 2017.

3 eixos que toda graduação em Direito deve observar (art. 5º):

  • EIXO DE FORMAÇÃO fundamental
  • EIXO DE FORMAÇÃO profissional
  • EIXO DE FORMAÇÃO prática

De acordo com os editais da OAB, o eixo que interessa é o de formação profissional. E o que diz este eixo?

Blá-blá e incluindo-se necessariamente, dentre outros condizentes com o projeto pedagógico, conteúdos essenciais sobre Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Tributário, Direito Penal, Direito Civil, Direito Empresarial, Direito do Trabalho, Direito Internacional e Direito Processual”

Bem, o restante das disciplinas está aí, traduzindo “direito processual” como as respectivas de Civil, Trabalho e Penal. Interessante que a OAB repete “direito internacional”, mas enfim…

Então, direito eleitoral ou previdenciário para serem incluídos devem estar no edital? Parece que sim, porque – na minha interpretação – não estão em nenhum lugar na Resolução 9 do Conselho Nacional de Educação. Nestas condições, somente o EDITAL pode “alertar” para inclusão de novas disciplinas.

E sobre uma nova e possível modificação de questões por disciplina? Sim, é possível que na prova [e somente nela, porque o edital não precisa avisar] tenhamos alterações ou ajustes. A “minha prova perfeita” não seria a divisão atual, não teria disciplinas com 2 questões, por exemplo, no mínimo 3 questões nem disciplinas com 7 questões, mas no máximo 6 questões. A razão é porque não há distinção na pontuação individual, ou seja, todo acerto vale 1 ponto.

Talvez a prova “mais justa” seria dar PESO distinto pela escolha do examinando. Por exemplo: quem escolhesse PENAL para 2ª fase, teria peso maior as questões de penal e processo penal para ele na prova objetiva. E, assim, sucessivamente.

E você já começou a estudar?

Segue a MELHOR proposta que alguém pode lhe dar: passe na OAB ou tenha o seu investimento de volta. Pois é, somente a Saraiva Aprova te oferece este “desafio” ou garantia, como desejar. Nenhum outro preparatório te dá esta garantia! Saiba mais, clicando abaixo.

dinheirodevolta

Quer indicação dos melhores livros para 1ª fase da OAB? Clique aqui e ÓTIMO ESTUDOS!

Os melhores livros para 1ª fase Exame da OAB

Comentários (12)

Livros para OAB

Seja com o edital da OAB publicado, seja às vésperas da sua publicação, a caça aos livros começou! É fácil identificar numa livraria, por exemplo, quem é graduando e quem já está na fase de se preparar para OAB e concursos públicos: quem estiver com uma pilha de livros é examinando ou concurseiro; quem está levando apenas um vade mecum é acadêmico de Direito. Infelizmente, a percepção é compartilhada com os próprios livreiros e atendentes.

Ou seja, o DESESPERO toma conta quando se percebe que “nada sei” diante dos grandes obstáculos que o Exame de Ordem traz e os cadernos e apostilas pouco fazem frente a eles.

Lembre: para o XXIV Exame a reforma trabalhista ainda não será cobrada!

Como se sabe, o mercado de livros jurídicos tem grande apreço a livros de OAB e concursos, resultado da própria procura do leitor. Há milhares de livros que buscam conquistar estes leitores, assim, resolvi indicar o que entendo como os MELHORES TÍTULOS para quem irá enfrentar a 1ª fase da OAB. Para saber mais de cada um, clique na própria capa.

Realmente, não dá para começar a preparação sem um VADE MECUM “de respeito”. Ele é vade mecum específico para OAB (ou “de carinhas”) mais vendido do país, está bastante atualizado comparado às opções concorrentes e o preço promocional. É o único vade mecum atualizado três vezes por ano. Clique na capa e saiba mais.

Aqui está um livro mais que completo, por isso, COMPLETAÇO. Foi o primeiro título a reunir teoria unificada e questões comentadas para OAB. Esta edição é de 2017, portanto, bastante atualizada.  Realmente, caiu nas graças do público e tem sido um sucesso maiúsculo de vendas. Na livraria Saraiva tem todas indicações dos compradores nota máxima.

5251

Outro campeão de vendas, o livro é aquele que mais questões comentadas oferece para os examinandos, bem como atualizado com as provas. Lançado no último trimestre de 2016, é a 8ª edição do título que foi pioneiro em comentar questões FGV (em 2010). Apresenta ainda quatro simulados inéditos. Na livraria Saraiva também tem todas indicações nota máxima.

Capa Poder da Aprovação

É lançamento 2017, o primeiro livro de autoajuda jurídico publicado no país. Trabalha os lados psicológico e pedagógico de toda uma preparação, seja para OAB, seja para concursos públicos. Também trabalha a vocação e muitas outras questões que circulam e convivem durante a vida de um examinando e concurseiro. Clique aqui e saiba mais!

oab esquematizado 2017

Esta é a nova edição do primeiro livro da série Esquematizado® dedicado ao Exame da OAB. Sob coordenação do prof. Pedro Lenza, traz a participação dos professores da plataforma Saraiva Aprova numa obra com teoria unificada e questões comentadas ao final de cada capítulo. O bacana é que este livro está incluso na matrícula da plataforma preparatória para o Exame da OAB, cuja produção é da Editora Saraiva. Saiba mais, clicando aqui.

Simulado OAB Saraiva Aprova

Por fim, uma CORTESIA para você. O livro acima é um E-BOOK de 2017 com simulado, gabarito justificado e dicas de coaching inteiramente GRÁTIS. Você pode começar hoje mesmos os seus estudos fazendo o download dele, basta clicar na imagem da capa e BONS ESTUDOS!

[post originalmente publicado em fevereiro de 2017, atualizado para o XXIV Exame com as novas edições conforme indicadas]

Qual o melhor curso preparatório para OAB?

Comentários (59)

O melhor

Todos nós desejamos “o melhor”. Qualquer que seja o produto ou serviço. O melhor sushi, a melhor cerveja, a melhor marca de tênis, o melhor médico especialista, a melhor instaladora de split, enfim, trabalhamos para isso, para conquistar “o melhor”. Provavelmente, “o melhor” seja uma indicação subjetiva, de quem já teve experiência anterior.

Assim, avaliações como estas terão maior credibilidade quanto maior for a experiência de quem indica. Diferente, portanto, será “o melhor” de quem foi num ou noutro restaurante japonês na vida e daquele que já conheceu uma dezena de restaurantes que oferecem sushi. Também será diferente se a opinião parte de um especialista no assunto: terá maior credibilidade de indicar “o melhor”.

No Exame da OAB, já tive a oportunidade de indicar o melhor vade mecum a partir de parâmetros que são públicos e que julgo importante. Também apresentei um comparativo das principais marcas, avaliando itens que mais satisfazem seus leitores [clique aqui].

Estou “no mercado” de OAB desde 2005 a partir da experiência de ser professor e coordenador de curso preparatório. Depois, em 2008, entrei no mercado editorial e começamos também a desenvolver este blog no mesmo ano. Hoje já são mais de 60 títulos publicados entre OAB e concursos públicos.

Como coordenador, que também assumi esta função em outras três oportunidades, tinha a missão de avaliar o mercado e a concorrência. E para tanto, comprava-se as aulas dos cursos concorrentes (estratégia comum entre todos) para espiar como funcionava o sistema e a didática. Praticamente, uma dezena de cursos eu conheço bem e sempre mantive proximidade até para indicar aos alunos.

Em razão também das obras da OAB, precisei pesquisar nos preparatórios autores para compor a minha coleção Passe na OAB, portanto, avaliei o corpo docente e a didática para fechar as autorias.

Tenho uma lista que é atualizada semestralmente com preparatórios de todo o país que oferecem Exame de Ordem (EAD, presencial, satélite e outros formatos, como PDF e coaching). É verdade que muitos fecharam devido à crise e a saturação de mercado, mas também há novas tentativas de se estabelecer, principalmente, de cursos que antes só ofereciam opções para concursos públicos.

Ainda, recordo que já indiquei durante minha trajetória, em determinados momentos, todos os cursos avaliados bem como outros que não estão na lista. Prometo, em outra avaliação, incluir mais opções, ok? De qualquer modo, estes representam grande parte das opções que o mercado oferece.

Pois bem, para responder a todos que me perguntam a cada Exame de Ordem, “professor, qual o melhor curso de OAB” ou “melhor indicação”, preparei este post de forma objetiva com uma avaliação dos cursos mais relevantes que considero a partir de uma comparação com o que acredito que seja a revolução do EAD. Porque? Assisti e participei de 2 revoluções no ensino à distância. Primeiro, foram os cursos tele-presenciais através da transmissão por satélite (LFG e Damásio). Segundo, os cursos online pela internet (CERS).

Agora a 3ª revolução, cursos online “analíticos”. O que é isso? Como você sabe ou está acostumado, compra o curso e dá o PLAY, assim, bem simples, e assiste as vídeoaulas. Este modo é igual para todo mundo, não é? De forma pioneira, a plataforma Saraiva Aprova altera esta lógica e entrega uma preparação identificada com as habilidades de cada um dos seus alunos, de modo PERSONALIZADO. Como é possível? Através da uma análise prévia que exige que seu aluno seja avaliado para “receber” uma “trilha de estudos” adequada ao seu perfil. Por isso é um curso online analítico. Certamente, a concorrência seguirá este modelo.

Diante de tudo isso, resolvi avaliar os cursos que tiveram participação nas revoluções no EAD, mas não irei nominá-los para não influenciar na sua resposta que já pode estar definida antes mesmo ler este comparativo. Por fim, não irei avaliar o corpo docente, em razão de ser o item mais subjetivo de todos eles. Avaliar uma individualidade é uma coisa, avaliar um conjunto ou seleção delas é outra. A didática, realmente, é um fator de distinção, mas e a empatia com o professor? Portanto, não consta na avaliação abaixo.

  CURSO ‘A’
CURSO ‘B’
CURSO ‘C’
CURSO ‘D’
Opção de Curso Único Extensivo Online Extensivo OAB Extensivo Teórico Online
Carga horária 210 horas 142 horas 357 horas 212 horas
Cada aula tem (Aprox.) 20 min. 30 min. 30 min. 30 min.
Acesso após matricula 180 dias
(6 Meses)
Até 08/12/2017 150 dias
(5 meses)
Até 19/11/2017
Limite de acesso ILIMITADO Até 3x Cada aula ILIMITADO Até 2x Cada aula
Inclui livro Na matricula SIM NÃO NÃO NÃO
Inclui simulado Na matricula 02 Simulados 01 Simulado 01 Simulado 03 Simulados
Inclui material Na matricula SIM SIM SIM Não informa
Informa diferenciais SIM SIM SIM SIM
Orientação na escolha da 2ª fase SIM SIM Não há SIM
Coaching para OAB SIM Não há Não há Não há
Centro de Solução de Dúvidas SIM SIM SIM SIM
Banco de questões SIM Não informa Não informa Não informa
Indicação dos temas que mais
são cobrados
SIM NÃO SIM SIM
Garantia em caso de reprovação SIM
Não oferece
Não oferece
Não oferece
Preparação personalizada SIM Não oferece Não oferece Não oferece
Investimento R$ *
R$ *
R$ *
R$ *
Parcelamento SEM JUROS Até 10x Até 9x Até 6x Até 6x

Todas as informações foram retiradas dos seus respectivos sites institucionais onde consta a descrição do próprio curso. Complementa-se à descrição acima a seguinte observação: o curso ‘B’ destaca que tem “workshop de como se preparar para OAB” e o curso ‘D’, “vídeos motivacionais”, no entanto, não se autodenominam que sejam cursos com formação coaching.

Pois bem, o que lhe parece? Não tenho dúvidas que o preparatório que oferece MAIS vantagens – e todas significativas – foi o Curso ‘A’, não é?

Então vamos revelar o MELHOR PREPARATÓRIO PARA OAB: a plataforma SARAIVA APROVA. Quer saber mais? Clique aqui e bons estudos!

[Originalmente publicado em 22/02/2017 para o XXIIº Exame. Atualizado para o XXIVº Exame. *OBS. Em razão da variação e atualização dos preços a cada exame, além de “promoções relâmpago” resolvi retirar os valores para evitar reclamações junto aos cursos pesquisados caso se identifiquem].

Maysa não quis fazer Direito…

Comentários (2)

direito-2

Uma imagem viralizou nas redes nestes dias. Durante a formatura de Maysa Ferreira, 22 anos, no curso de jornalismo, seus pais levantaram uma faixa com o seguinte: “Maysa, não era o que queríamos, mas formou. Seus pais“. A matéria completa você lê no G1, clique aqui.

O que me chamou atenção e despertou a curiosidade era: o que os pais da Maysa queriam então? Descobri: queriam que ela se formasse em DIREITO. Mas a Maysa não quis, apesar de alguns indícios como gostar muito de ler, segundo ela própria e seus pais. Ela chegou a cogitar na faculdade de Direito, mas acabou se matriculando em jornalismo na Universidade Federal de Tocantins.

Como sou professor também na graduação, é de costume no primeiro dia de aula fazer uma pesquisa com os meus alunos: o que vocês querem ser quando crescerem? Entre risadas, todos respondem, mas o que mais me chama a atenção não é “concurso público”, cerca de 80 a 85%, mas daqueles que ainda não sabem o que fazer. Claro, tenho turmas que estão entre 4º ao 8º semestre, em geral, porém cada vez mais fica a impressão que muitos escolheram DIREITO porque estavam, justamente, EM DÚVIDA das suas vocações.

Veja bem, eu mesmo, antes de fazer vestibular em Direito, tentei durante dois anos…. MEDICINA. Cheguei a ficar na lista de espera, mas consegui entender que as razões para estudar para um dos vestibulares mais difíceis eram equivocadas. O DIREITO tem uma atração muito forte por ser um curso aparentemente “amplo”, com muitas possibilidades, especialmente, concursos públicos. Assim, numa época que decisões precisam ser tomadas mais cedo, a imaturidade das escolhas é algo provável, por isso, na dúvida, “escolho Direito”.

Sei que a taxa de abandono no 1º ano do curso de Direito pode ser acima da média. Veja bem, é o curso com o maior número de matriculas no ensino superior do país, superando inclusive ADMINISTRAÇÃO que fora campeã absoluta por muitos anos. Então, a indecisão por parte do aluno que está saindo do ensino médio acaba sendo favorável à escolha do curso de Direito. Ocorre que muitos percebem que a faculdade é exigente quanto à leitura e o primeiro contato com as leis, geralmente, é duro.

Em outros cursos onde há alguma cadeira de Direito (ministro também para uma turma de Administração e Contábeis), os alunos são atenciosos, mas percebem uma “chatice” em consultar códigos e vade mecum. Os próprios alunos do Direito têm certa aversão à consulta, imaginem os demais!

Recentemente, completei 20 anos de formatura. Avaliando a lista de formados, ao menos daqueles que tenho algum contato, percebo que muitos abandonaram as lidas jurídicas e investiram em outros campos. Não que todos tenham um “desgosto” pelo curso que se formaram, mas acharam a felicidade e a realização em outros projetos, desde o empreendedorismo até a terapia holística.

Muita gente critica a “cultura do concurso público” que se instalou nas faculdades de Direito. Mas ela está em muitas outras áreas, inclusive, na própria Administração e Contábeis. De fato, a remuneração e estabilidade são muito atraentes comparado com a iniciativa privada. A culpa não é dos alunos, mas da nossa própria sociedade. A questão é mais vocacional quando os alunos de Direito não sabem qual concurso prestar, visto que há outras condicionantes, como qual o mais “fácil” de passar, a remuneração envolvida, aquele que tem menos candidatos, enfim, a gama é grande.

Portanto, o que temos “para hoje” sobre o curso de Direito é isso. Se é bom ou ruim, você decide. Para Maysa era ruim; para os pais dela, bom. De qualquer sorte, é importante destacar: o curso continua atrativo e será assim por muito tempo.

[ATUALIZADO]

PS. Li numa matéria de Zero Hora que 1 a cada 5 acadêmicos do ensino superior não concluem a faculdade segundo o MEC, sendo que a falta de identificação do aluno com o curso é a principal causa de abandono. Os testes vocacionais são importantes, especialmente, um ano antes de prestar vestibular. Há diversos deles online. Conheça do Guia da Carreira [clique aqui], o Teste Vocacional Online [clique aqui] e do Mundo Vestibular [clique aqui].

PS2. A Maysa leu o texto acima, segundo seu depoimento em nossa fanpage do FB. De acordo com ela, “Nossa amei o texto!!“. Obrigado pelo carinho, siga sua determinação com SUCESSO pela escolha pelo jornalismo.

Saraiva Aprova: o dia que o Exame da OAB mudou

Comentários (0)

Mudança

Anote aí na sua agenda: dia 22 de agosto de 2017. – O que que tem nesta data professor? Vejamos:

  • Data da publicação do resultado final da 1ª fase do XXIII Exame de Ordem
  • XXIII Exame de Ordem: um dos piores resultados de todos os tempos na 1ª fase
  • Menos de 15% de aprovação
  • Nenhuma questão anulada
  • XXIII Exame de Ordem, a prova que será lembrada pela diminuição de questões de Ética

Todas as notícias que poderiam estar nos programas televisivos sensacionalistas ou policiais. Só não escorre sangue, porque a dor é interna de quem não foi aprovado. O Exame “Injusto” da Ordem.

Também neste dia teve o webinário do prof. Pedro Lenza transmitido AO VIVO para todo o país com mais de 7 mil inscritos. Nele, o prof. Lenza comentou as possíveis razões que levaram à reprovação em massa e perspectivas para o futuro.

Mas não vivemos apenas de notícias ruins. Veja bem, há indignação com os resultados? Claro, todos nós estamos revoltados, mas pergunto: apenas culpar “alguém” resolve? Pois é, muitos responsáveis por cursos preparatórios foram para as redes sociais “achar” um culpado. Todo mundo sabe quem é. Exigir transparência resolve? Não sei, parece paliativo. O que fazer então? MUDAR, pode ser o primeiro passo para uma NOVA direção.

Oferecer DESCONTOS ajuda? Sim, mas resolve? Não. O problema continua lá, porque não há mudanças, visto que todo mundo oferece descontos “para ajudar”, mas não para “resolver”. Como resolver ou mudar? INOVANDO. Todo mundo acredita em você, no seu potencial, nos seus esforços. Nós, professores, e responsáveis por preparatórios. Mas pergunto: eles acreditam neles próprios?

BINGO! Esta é a questão. O XXIII Exame de Ordem é um marco, um fato histórico dentro dos 7 anos que o Exame de Ordem Unificado existe sob a organização da FGV. Se todos esperavam uma anulação para “acalmar” os examinandos, professores e de quem mais foi ao público reclamar, a resposta da OAB e FGV no dia 22 de agosto calou a TODOS, exceto uma instituição: Saraiva Aprova.

Neste mesmo dia, diante de todos os males, contra a inércia e a zona de conforto do empreendedorismo, a plataforma Saraiva Aprova enviou uma mensagem clara ao mercado: NÓS acreditamos no nosso trabalho e em NOSSOS alunos. O que ela fez? Ofereceu um desconto de 90%? Não, porque isso, justamente, desqualifica o seu trabalho e missão. Ao contrário, ofereceu a garantia que sua plataforma é confiável e eficiente através da devolução do investimento do aluno caso ele não seja aprovado!

- Como, professor? Pode repetir?

Sim, a plataforma Saraiva Aprova (leia-se Editora Saraiva) está garantindo a sua aprovação caso você estude com eles. Simples assim. Se você não for aprovado, eles lhe devolvem o seu dinheiro ou se preferir, te entregam mais 6 meses de preparação. Não é promoção, mas compromisso! A partir de agora, se você preencher alguns requisitos durante o processo de aprendizado, você tem esta garantia.

Agora, pergunto eu: Você quer a aprovação na 1ª fase ou receber o investimento de volta?

Estou envolvido no Exame da OAB desde 2005 e JAMAIS enxerguei isso desde então. É ousado? Somente para quem tem dúvidas do seu método de ensino e seus professores. Para Saraiva Aprova não é, porque ela acredita nos seus professores, na sua plataforma e método personalizado de aprendizado. Se você ainda não conhece, fica a sugestão da leitura sobre a plataforma que desbravei lá no seu lançamento (clique aqui) e sobre o comparativo dos preparatórios que levantei (sabe qual o melhor? clique aqui).

Não tenho dúvidas, dia 22 de agosto de 2017 o Exame da OAB mudou. Também tenho certeza que hoje todos enxergarão diferente os descontos que os cursinhos oferecem e a garantia de aprovação que a Saraiva Aprova oferece.

dinheirodevolta

Agenda OAB

XXIII Exame de Ordem Unificado

  • 23.07.2017

    Prova objetiva 1ª fase

  • 07.08.2017

    Resultado preliminar

  • 08.08.2017
    a
    11.08.2017

    Prazo recursal 1ª fase

  • 22.08.2017

    Gabarito definitivo

  • 17.09.2017

    Prova dissertativa 2ª fase

  • 10.10.2017

    Resultado preliminar

  • 11.10.2017
    a
    14.10.2017

    Prazo recursal 2ª fase

  • 24.10.2017

    Resultado definitivo