5 Dicas de estudos para 1ª fase do XXIII Exame da OAB

Comentários (0)

Cinco

A última prova da 1ª fase é recente, aplicada há menos de 10 dias. Acredito que este post serve para dois públicos: [1] para quem irá fazer pela 1ª vez o exame; [2] para quem irá refazer o exame. O prazo de 10 dias é um período satisfatório de respeitar o LUTO da reprovação. Momento que calados observamos a vitória dos outros e, inevitavelmente, comparamos porque não fomos nós os aprovados.

Não é inveja, mas avaliar o que fizemos de errado e o que os outros fizeram de certo.

Avaliar o que se fez errado também é um ponto de partida para quem irá prestar o exame pela 1ª vez. Fica como um ALERTA do que não pode cometer. Portanto, o texto serve para todos que irão realizar a 1ª FASE do XXIIIº Exame da OAB.

Assim, reunimos 5 DICAS essenciais tanto para começar como para recomeçar os estudos para 1ª fase da OAB.

[=1=] AUTOAVALIAÇÃO – O coaching é um processo contínuo de avaliação do coachee, ou seja, aquele que precisa esclarecer seu próprio caminho. Através de perguntas poderosas formuladas pelo coach, vou enxergando a luz do final do túnel até alcançá-la. Em outras palavras, é a partir das suas respostas que serão direcionadas as perguntas. Mas você pode tentar chegar a elas através de uma autoavaliação. Neste caso específico, antes de iniciar a preparação em si, precisamos nos conhecer. E as perguntas do coach estarão nas questões da última prova da OAB. Resolva elas e o resultado indicará suas qualidades e defeitos. Não basta resolver, é importante avaliar. Tem dúvidas do resultado? Faça a antepenúltima prova e assim sucessivamente.

[=2=] INVESTIMENTO – Não só financeiramente, como na dedicação. Com os resultados em mãos (quais disciplinas estão bem, quais estão ruins), você investirá MAIOR tempo em resolver seus pontos fracos. Não adianta investir onde você já vai muito bem, precisa, estrategicamente, entender a “média” naquelas deficitárias, ou seja, que empurram seu escore para baixo do mínimo, ou seja, 50% de acertos no total de questões. Quanto à questão financeira, ela reflete em investir em livros novos, específicos para OAB, com questões comentadas e teoria unificada. Estudar com caderno ou apostila é totalmente perigoso, por isso ultrapassado. E gastar com um preparatório mais “em conta”, sem observar se aulas são atuais, se há envolvimento dos professores, pode sair bem caro porque vai ter que pagar de novo caso não ocorra a aprovação.

[=3=] MATERIAL DIDÁTICO – Ninguém em sã consciência vai entrar numa batalha sem um armamento seguro ou moderno. Para enfrentar a FGV, não basta o caderno da faculdade, nem apostilas da internet. 99,9% das apostilas não tem autoria, nem data de atualização. Você pode estar estudando com material ultrapassado e nem sabe disso. Hoje o mercado editorial é rico em opções, portanto, porque vai arriscar 3 meses que envolvem um exame da OAB? Quer uma sugestão? Completaço – Teoria Unificada e Questões Comentadas – Passe na OAB 1ª Fase FGV. [clique nos títulos e saiba mais]. E você com este VADE MECUM antigão aí. Quer resolver isso? Vade Mecum Saraiva – OAB e Concursos – 2017. Este é o kit aprovação para 1ª fase. A FGV não vai ter chance alguma!

[=4=] MÉTODOS DE ESTUDOS – A ciência apontou, entre 10 métodos, aqueles dois com maior utilidade, resultado da pesquisa. Os melhores métodos são: RESOLVER QUESTÕES e ESTUDAR DE FORMA ANTECIPADA. Nunca foi tão importante a resolução de questões de provas anteriores, seja como autoavaliação, seja para otimizar o tempo com os estudos. Não existe conteúdo programático para 1ª fase, assim, resolvendo e avaliando questões de provas passadas você encontrará muitas conclusões em cada disciplina. O que posso lhe ajudar é indicando um livro de questões comentadas: Passe na OAB – 1ª Fase Fgv – 5.251 Questões Comentadas. Este livro já traz as questões divididas em disciplinas e temas, facilitando, assim, esta pesquisa. Sobre estudar de forma antecipada, sugiro um cronograma CAMPEÃO e que pode ser adequado às suas necessidades: duas disciplinas por dia, todos os dias da semana. Total: 14. E as outras 3? Ética, ECA e CDC deixe para última semana antes da prova. Quantas horas por dia? Vai depender da sua disponibilidade. Não precisa ser 8 horas, mas também com 1 hora diária não dá para engrenar qualquer coisa. A divisão entre as disciplinas depende de você: invista mais tempo na mais fraca.

[=5=] PREPARATÓRIO – Muita gente me pergunta “qual o melhor cursinho de OAB”. Realmente, “cursinho” eu não sei dizer, porque há tantos espalhados no país, sendo que a cada semana surge um novo e fecha outro. “Cursinho” no diminutivo é porque é “inho” mesmo. Você ouvirá que muitos fizeram mais de um porque o resultado não chegou. Muitos deles é mais um “produto” de uma extensa prateleira de cursos, que envolvem não só jurídicos, como ENEM, para área da saúde, etc. Vendem de tudo de um pouco. Se quero comprar um bom vinho, vou procurar onde? Numa loja especializada. Que não quer o melhor, por isso que me perguntam. No entanto, há bons preparatórios [não cursinhos]. Também há plataformas, muito poucas, mas pode anotar, será tendência. Delas posso dizer quem é pioneira e também dizer qual a melhor: Saraiva Aprova. É a plataforma da EDITORA SARAIVA, que dispensa maiores apresentações, como também é a plataforma que o prof. PEDRO LENZA coordena, hoje, indiscutivelmente, o nome mais popular no mundo do Direito do país em razão da sua coleção Esquematizado®. Além da equipe de professores que reuniu e de toda a tecnologia envolvida, não há dúvidas que é a melhor plataforma. Quer saber mais? Indico dois links [clique neles]: uma apresentação dos benefícios e a visualização interna da plataforma por vídeo.

Todas estas 5 dicas são melhores exploradas em outros ‘posts’ já publicados aqui no BLOG. Tem um campo para buscar todos estes assuntos, basta redigir ali, na coluna à direita no topo.

Por fim, para quem está reiniciando os estudos, importa descobrir o que aconteceu que não veio a aprovação desejada. Observe seus métodos. Compare não só com quem foi aprovado, pois muitas vezes não serve para você. Compare com as dicas acima. Analise a prova que você não foi aprovado. Descubra do porquê. Mantemos contato!

O que pode e não pode no Vade Mecum!

Comentários (0)

VADE

Semana pós-aprovação da 1ª fase é semana para ir às compras nas livrarias. Muita gente deixa para este momento para comprar livros para 2ª fase e vade mecum novinho em folha. Aquele surrado vade mecum de um ou dois anos atrás servirá agora para:

  • (A) colocar debaixo da tela do monitor do computador.
  • (B) segurar a porta do quarto.
  • (C) ajudar os amigos que têm códigos mais antigos que o seu.
  • (D) o seu sobrinho brincar de colorir ou recortar.

Muita gente economiza para tantas coisas, entre elas, muitas bobagens, mas para o ÚNICO instrumento de trabalho profissional e acadêmico, de uma atividade que foi escolhida e vem sendo preparada há cinco anos, prefere arriscar a sorte. O vade mecum é o nosso estetoscópio e, que ainda bem, não precisamos carregar no pescoço…

Lembre, ainda, que é o ÚNICO material que poderá ser consultado na sua prova de 2ª fase. Não sei quantas você já gastou em inscrições para o Exame da OAB, mas deixar de ser aprovado por um código que lhe deixa inseguro é como ganhar o direito de dar uma volta no seu carro dos sonhos e não ter dinheiro para colocar gasolina.

Já fiz um comparativo entre os vade que estão no mercado para o XXIIº Exame da OAB. Não leu? A oportunidade é agora, clique aqui. Venho fazendo estes comparativos desde 2013, portanto, pode confiar, pois apresento fatos de cada um que importam na escolha. Se você está com preguiça de saber quem foi o vencedor, a imagem abaixo revela então. Fiz também uma pesquisa para este post sobre os preços e o mais baixo que encontrei, em PROMOÇÃO, foi na livraria AMAZON.COM.BR por R$ 127,11. Inclusive tem frete GRÁTIS para região SUL.

VM 2017

Depois da corrida às livrarias, começa a chegar dezenas e dezenas de perguntas sobre o que pode ou não pode fazer com o VADE MECUM. Não preciso lembrar que não vale legislação comentada, anotada, comparada, seja por autores, seja por vocês, ok? É PROIBIDO qualquer artimanha que estruture peças, seja por índices, seja por remissões,  ou por qualquer outro método que o FISCAL possa perceber. Assim, algumas conclusões.

  • É permitido TODO TIPO de índice, seja temático, seja por ordem alfabética, qualquer tipo, DESDE QUE não estruture roteiro para peças processuais;
  • É permitido SOMENTE a simples utilização de marca texto, traço ou simples remissão a artigos ou a lei. SENDO ASSIM, não faça SÍMBOLOS, FLECHAS, TRAÇOS ou use MARCA-TEXTO para estruturar peças, NEM MESMO ANOTAÇÕES pessoais ou transcrições.
  • São permitidas Súmulas, Enunciados e Orientações Jurisprudenciais, inclusive organizados, DESDE QUE NÃO estruturem roteiros de peças processuais e não sejam comentados, anotados ou comparados. Por outro lado, SÃO PROIBIDOS informativos de tribunais e jurisprudências. Mas veja que a informação que há uma ADI, p.ex., em determinado artigo não é proibida, pois não é “jurisprudência”. Ademais, enunciados das jornadas do CJF – Conselho de Justiça Federal, órgão do Poder Judiciário, NÃO SÃO PROIBIDOS, porque estão dentro de “Enunciados” e não estruturam roteiros de peças.
  • É permitido o uso de CLIPES e de SEPARADORES DE CÓDIGOS fabricados por editoras ou outras instituições ligadas ao mercado gráfico, desde que com impressão que contenha simples remissão a ramos do Direito ou a leis. É o caso dos separadores da Marca Fácil. Por outro lado, SÃO PROIBIDOS notas adesivas manuscritas, em branco ou impressas pelo próprio examinando. ou separadores de códigos fabricados por editoras ou outras instituições ligadas ao mercado gráfico em branco.

Este é um resumo do que está no EDITAL do XXIIº Exame da OAB. O edital do exame anterior veio com a novidade da PROIBIÇÃO do uso de ‘post it’. Foi uma tremenda repercussão e relembrar é importante [clique no link]:

- Post it proibido para uso no vade mecum!

Somente os “post it” ou separadores produzidos por editoras e DESDE QUE que com impressão que contenha simples remissão a ramos do Direito ou a leis eram PERMITIDOS. Porém, chamo a atenção para uma NOVA PROIBIÇÃO que o XXIIº Exame da OAB trouxe [e eu COMI MOSCA quando avaliei a publicação do edital, aliás, já conferi, NINGUÉM VIU!]:

Utilização de separadores de códigos fabricados por editoras ou outras instituições ligadas ao mercado gráfico em branco.

Esta indicação não estava no XXIº Exame. Entendo que foi para esclarecer melhor que mesmo que fabricados por editoras, marcadores ou separadores EM BRANCO são proibidos, pois se assemelham aos “post-it”. Estes aqui, então estão PROIBIDOS.

IMG_9029

Os que estão PERMITIDOS são estes:

Banner-Etiquetas03

Também quero responder uma dúvida de muitos: sobre o uso de marca-texto, traços e citação de artigos. Confesso que sempre fui muito “liberal” sobre o uso de marca-texto. Antigos ‘posts’ eu trazia a ilustração de páginas bem coloridas, pois não enxergava mal algum. Ocorre que o pessoal começou a abusar e usar códigos coloridos para roteirizar peças. O que acontece? A FGV começou a intensificar a FISCALIZAÇÃO.

Vou marcar

Tive que mudar. Hoje apenas indico o USO MODERADO DE NO MÁXIMO 2 CORES no marca-texto. Recentemente, recebi um triste depoimento de uma examinanda que teve recolhido o seu vade mecum em razão de estar multi-colorido. Leia aqui e entenda o desespero dela. Se quiser usar TRAÇO, que seja apenas para destacar palavras ou uma frase completa. Mas se o FISCAL implicar com o seu vade mecum, o que fazer? Já respondi também esta questão, clique aqui.

A imagem abaixo é o que entendo como MODERADO.

Vade marcado

Já me perguntaram inúmeras vezes: “posso usar marca-texto no índice?”. Sim, o edital não proíbe.

Se você ainda não passou na livraria e deixou de comprar os livros para 2ª fase mais completos e atualizados do mercado, esta é a nossa sugestão. Eles foram pensados como o “livro definitivo” para a 2ª Fase da OAB, na qual o examinando irá encontrar teoria, modelos de peças, questões e peças comentadas das provas da OAB/FGV, bem como enunciados de súmulas dos tribunais superiores especialmente destacados e classificados. Assim, dentro do espírito de preparação adequada, que inclui conteúdo atualizado, confiável e eficiente, trouxemos professores experientes em salas de aula de todo o país. Este volume contém a teoria de direito do trabalho e processo do trabalho, resolução de peças já cobradas nos Exames da OAB, questões discursivas. Clique na imagem e saiba mais.

2ª Fase Concursar

XXII Exame OAB: questões anuláveis

Comentários (46)

Anular

Sabe-se que o prazo recursal é somente a partir da divulgação da lista preliminar de aprovados, ou seja, DIA 17 DE ABRIL. Assim, do dia 17 ao dia 20 é o prazo para RECORRER DA 1ª FASE da OAB. Porém, por óbvio, ninguém se aguenta até este dia. Não foi assim em todos os últimos exames da FGV como não será neste.

Quem está por 1 ou 2 questões está “louco” para começar a preparação para 2ª fase. Veja que a data da prova da 2ª fase está marcada para 28 DE MAIO. Portanto, não quer perder tempo roendo as unhas, tendo insônias, enfim, quer decidir a sua vida, seja para continuar na esperança de ser o último exame da OAB, seja para retomar os estudos para 1ª fase.

Ultimamente, quem está por 40 ou 41 acertos também anda sofrendo com o gabarito. “- Como assim, professor, a pessoa passa e ainda tem medo de ser reprovada?”. Pois é, inclusive é compreensível em razão de recente passado da FGV. Explico. No XIXº Exame da OAB, a FGV retificou o gabarito, alterando 2 questões de direito do trabalho. Já no IIIº Exame da OAB, a FGV retificou também o gabarito, alterando 1 questão. Em ambas as oportunidades, alegou ERRO MATERIAL.

O que aconteceu? Quem tinha acertado com o primeiro gabarito divulgado, acabou perdendo duas questões. Assim, muita gente que foi aprovada, da noite para o dia, ficou reprovada. Assim, RETIFICAR é diferente de ANULAR. Explico novamente. Se você acerta 40 questões e ANULAM 1, você não perde nada, ganha quem errou justamente a questão anulada. Se você acerta o mesmo número, no entanto, RETIFICAM 1, justamente, a que você tinha acertado, você perde, porque um novo gabarito foi homologado. Capisce?

Pois bem, depois desta introdução, outros dados devem ser informados.

Contando a partir do Xº Exame da OAB, inclusive este, tivemos 8 provas sem anulações do total de 12 exames. 3 provas tiveram 2 questões anuladas. E uma única prova, 1 questão anulada. Lembro que exceto a última, a XXIº Exame, que teve duas questões, os XVIII, XIX e o XX não tiveram. Portanto, fica evidente que a FGV (e nenhuma outra banca) não gosta de anular. ANULAR é confessar que errou, sendo assim, ninguém gosta de admitir erros.

Por isso, meu PESSIMISMO MODERADO quanto às anulações, especialmente, na OAB. Se você está por 3 QUESTÕES, retome os estudos imediatamente para 1ª fase. Se você está por 2 QUESTÕES, diria eu que é praticamente impossível no XXIIº Exame repetir o feito do último. Veja que a última prova foi “do capeta”, pois antes de anularem, o índice de reprovação era quase 95%. “- Então, professor, você está dizendo que há uma espécie de ‘compensação’ em anular e a aprovação?” Infelizmente, SIM.

Diante disso, se a média histórica de aprovação se mantiver por volta entre 20% a 30% na 1ª fase, é quase missão impossível arrancar alguma anulação, somente em casos gritantes! E o XXIIº Exame? Aparentemente, está dentro desta média.

“- Então, eu, que fiz 39 acertos não tenho chance alguma?”

Avaliando tudo o que já me mandaram de outros preparatórios e blogs, acho que conseguimos reunir no máximo 7 questões candidatas à anulação. Há uma questão que parece ser UNANIMIDADE e professora Carla Carvalho da Saraiva Aprova concorda que é do “Fagundes e Pilar são noivos e pretendem se casar adotando o regime de separação de bens mediante celebração de pacto antenupcial. Fagundes é empresário individual e titular do estabelecimento Borracharia Dona Inês Ltda. ME”.

Veja que você encontrará diferentes opiniões sobre uma única questão, gente defendendo o gabarito e gente querendo a anulação. Lembre ainda que há também outros interesses envolvidos na anulação e que passam justamente pela sua aprovação: comprar curso para 2ª fase. Então, por certo, você precisa desconfiar quando há muito otimismo ou alguém querendo vender muito algo que os números não mentem.

Por isso, não acredite quem defenda que com 37 acertos o “céu é logo ali” ou “esperança é a última que morre” ou mesmo “fé, acima de tudo”. Em todo o histórico de FGV como banca da OAB apenas em duas oportunidades anularam 3 questões, mas já vão muitos anos desde então e a prova não é mais a mesma.

Outra pergunta frequente que recebo: “- Professor, preciso eu entrar com o recurso?”. Não precisa, mas somente quem fez a prova pode entrar. Então não se deixe levar que os professores entrarão com recurso ou o próprio cursinho. Estamos apenas indicando um norte. E se for anulada a questão, aproveita a todos, mesmo quem não entrou com recurso. Assim, você pode entrar (é grátis e online) ou torcer que alguém entre…

Então, para finalizar, o que consegui juntar de questões [só o começo] que julgam que podem ser anuladas.

[1] Antônia contratou os arquitetos Nivaldo e Amanda para realizar o projeto de reforma de seu apartamento. RESPOSTA: alteração de gabarito (“será possível o ajuizamento”), retificação.

[2] Em determinada subseção da OAB, constatou-se grave violação à disciplina prevista na Lei nº 8.906/94, no que diz respeito ao exercício de suas atribuições de representar a OAB perante os poderes constituídos e de fazer valer as prerrogativas do advogado.  RESPOSTA: sem gabarito, anulação.

[3] Festas Ltda., compradora, celebrou, após negociações paritárias, contrato de compra e venda com Chocolates S/A, vendedora. RESPOSTA: sem gabarito, anulação.

[4]  O Presidente da República descumpriu ordem judicial, emanada de autoridade competente… RESPOSTA: alteração de gabarito (“pelo Senado Federal”), retificação.

[5] A teoria dimensional dos direitos fundamentais examina os diferentes regimes jurídicos de proteção desses direitos ao longo do constitucionalismo democrático, desde as primeiras Constituições liberais até os dias de hoje. RESPOSTA: duas alternativas corretas, além da oficial aquela que traz “O conceito de direitos coletivos de terceira dimensão se relaciona…”, anulação.

[6] Expedida carta precatória executória numa demanda trabalhista, o juízo deprecante cita o devedor para pagamento. RESPOSTA: erro no enunciado [não seria “deprecante”, mas “deprecado”] que prejudica a compreensão, anulação.

[7] Fagundes e Pilar são noivos e pretendem se casar adotando o regime de separação de bens mediante celebração de pacto antenupcial. RESPOSTA: sem gabarito, anulação.

Complemento que não trouxe as fundamentações propositalmente, pois a própria FGV solicita que os recursos não tenham suas razões repetidas. Sendo assim, busque argumentá-las do seu modo a partir do dia 17 de abril..

Por fim, se depois de todo este texto você decidiu retomar os estudos para 1ª fase, quem sabe não seja o momento de repensar suas tentativas anteriores, inclusive essa? Avaliar o que você poderia ter feito melhor. Tentar superar os problemas que surgiram ou permanecem e que estão impedindo que sua preparação seja mais produtiva? Estudou demais, será que não estudou errado? Lembro que quantidade não é qualidade. Quer uma dica? Conheça a nova plataforma Saraiva Aprova. É totalmente diferente do que você já viu, pode apostar! Fiz um vídeo dentro da plataforma, mostrando tudo que é de novo, clique aqui e reveja seus conceitos.

Agora, se você quer seguir o caminho da 2ª fase, porque conteúdo estudado não é perdido, como sempre diz o meu pai, sugiro a nova coleção Completaço Passe na OAB 2ª Fase FGV, com todos os volumes lançados agora em março 2017 pela EDITORA SARAIVA. Tem o melhor custo-benefício do mercado e ainda traz não só MODELOS, como PEÇAS COMENTADAS, QUESTÕES COMENTADAS, um PASSO A PASSO, as PRINCIPAIS SÚMULAS, e TEORIA. Saiba mais, clique aqui.

E, independentemente, da sua escolha, o VADE MECUM SARAIVA OAB E CONCURSOS tem nova edição (12ª, 2017), recém saída do forno. E na livraria AMAZON está numa promoção incrível. Clique aqui.

Os melhores livros para 2ª fase OAB

Comentários (0)

Completaço 2 fase OAB-Nas livrarias

Já está nas livrarias a melhor e mais atualizada série editorial para 2ª fase da OAB. Passe na OAB 2ª Fase FGV Completaço. Publicada pela EDITORA SARAIVA, atualmente, é a sua única série para 2ª fase da OAB atualizada com CPC/2015. Lançada agora na segunda quinzena de março, é uma coleção rica em DETALHES e reuniu – EXCLUSIVAMENTE – as seguintes características (você não verá em nenhuma outra a reunião de todas elas):

  • TEORIA E MODELOS DE PEÇAS
  • QUESTÕES DISCURSIVAS COMENTADAS
  • PEÇAS PROFISSIONAIS COMENTADAS
  • ROTEIROS PASSO-A-PASSO
  • SÚMULAS DE TRIBUNAIS SUPERIORES SELECIONADAS
  • ATUALIZADOS COM NCPC

Portanto, além de ser uma coleção de 2017 [a maioria que está no mercado é de 2016], apresenta um grupo de autores referência como professores nos mais diversos preparatórios do país. TODOS estão envolvidos em preparatórios para OAB e, portanto, afinados não só com a didática atualizada como também com a linguagem que o aluno ou leitor deseja.

Resumidamente, são livros que entregam a PRÁTICA e a TEORIA. Avalia todas as provas anteriores da FGV, observando não só os gabaritos oficiais, como também tecem comentários complementares para indicar a resposta correta, tanto nas peças como nas questões.

Recomendamos duas livrarias online onde você pode encontrar esta coleção: Livraria Saraiva e Livraria Concursar.

completaço 2 fase

E o seu VADE MECUM já está com ele em mãos? Como você sabe, deve ser um BEM ATUALIZADO ou você vai arriscar a sorte com um defasado para prova, depois de todo o esforço para alcançar a aprovação na 1ª fase? Por isso, indicamos também o melhor e mais atualizado vade mecum: VADE MECUM SARAIVA OAB E CONCURSOS. 12ª EDIÇÃO, 2017, fechamento 31/janeiro/2017.

Já comentei sobre ele de forma detalhada em:

- Em 1ª mão: o melhor Vade Mecum para OAB

Neste ‘post’ eu respondo 3 perguntas:

  • Qual a diferença entre o Vade Mecum Saraiva OAB e Concursos com o tradicional Vade Mecum Saraiva?
  • Porque o Vade Mecum Saraiva OAB e Concursos é o melhor?
  • O Vade Mecum Saraiva OAB e Concursos é permitido usar na prova da 2ª fase?

Na Livraria Concursar ele está em PROMOÇÃO de R$ 175,00 por R$ 140,00. Clique aqui. Na Livraria Amazon.com.br, está por incríveis R$ 127,11. Clique aqui e veja se ainda há estoque.

Vade Mecum Saraiva 12

 

Primeiras observações sobre a prova da OAB

Comentários (17)

Primeiras

Aplicada a prova da 1ª fase do XXIIº Exame da OAB, antes mesmo da hora para encerrá-la (18 horas), já é possível apresentar primeiras observações ou impressões sobre ela, a começar pela mudança da ordem das disciplinas e a não correspondência entre os tipos de provas.

Como vocês devem saber, a prova há muitos anos começa por ÉTICA. Inclusive já fizemos uma montagem que viralizou sobre a ordem das disciplinas e quantas questões cada uma respondia, clique aqui. Hoje foi diferente [baseada na prova amarela ou 03]:

  • 1-7 DIREITO CIVIL [7]
  • 8-9 FILOSOFIA DO DIREITO [2]
  • 10-11 INTERNACIONAL [2]
  • 12-21 ÉTICA [10]
  • 22-28 CONSTITUCIONAL [7]
  • 29-33 EMPRESARIAL [5]
  • 34-35 CONSUMIDOR [2]
  • 36-41 PROCESSO CIVIL [6]
  • 42-44 DIREITOS HUMANOS [3]
  • 45-46 AMBIENTAL [2]
  • 47-51 PROCESSO PENAL [5]
  • 52-57 PENAL [6]
  • 58-63 TRABALHO [6]
  • 64-68 PROCESSO DO TRABALHO [5]
  • 69-72 TRIBUTÁRIO [4]
  • 73-78 ADMINISTRATIVO [6]
  • 79-80 ECA [2]

Dois comentários a fazer sobre esta mudança: [1] a prova da OAB é a única que conheço que não identifica as questões pelas disciplinas; [2] a mudança só tem um motivo, o mesmo de não identificar as questões por disciplinas: DIFICULTAR a vida do examinando.

Outra mudança: como se sabe são 4 TIPOS de provas (por número e cores). Em todas elas a ordem das disciplinas era idêntico, só mudava a ordem das questões e às vezes, alternativas. Neste exame, as provas não seguiram a mesma ordem.  [atualizado]. Tive acesso agora a todas as provas, a FGV disponibilizou. A prova BRANCA (tipo 01) e VERDE foram as ÚNICAS que mantiveram a mesma sistemática anterior, começando por ÉTICA.

Pergunto: a OAB e a FGV estão com medo do quê, que COLEM?

Entendo que faltou ISONOMIA no tratamento quanto aos examinandos. Sabe porque? Todo mundo já esperava um padrão e ele só se REPETIU na PROVA BRANCA! Quer ver alguns comentários que colocaram no perfil no Facebook?

comentarios

Isso é uma pequena amostragem. Reitero: faltou ISONOMIA, porque somente aqueles que pegaram a prova BRANCA e VERDE sabiam, desde antes, qual era a sequência das disciplinas. E começaram por ÉTICA onde a posição era conhecida de TODOS. No entanto, quem ficou com as demais provas teve que procurar onde estava a disciplina.

Sobre o grau de DIFICULDADE, minha impressão é que não foi o “exame do capeta”, mas também não foi o “exame da Branca de Neve”. Lembra da última prova, o “exame do capeta“? Para refrescar a memória (clique no link abaixo):

- Foi um exame da OAB do capeta! [28.11.2016, sobre a prova da 1ª fase do XXIº Exame]

Conversando com os professores da SARAIVA APROVA, a posição parece seguir neste sentido: NA MÉDIA, a prova foi menos complicada do que a anterior.

Fora uma disciplina ou outra, a sensação geral foi esta. Já tínhamos previsto que o XXIIº Exame, provavelmente, deveria ser mais dentro do que esperamos, pois concluímos, em razão da nossa experiência, que não há duas provas do capeta seguidas. O Exame de Ordem NUNCA VAI SER FÁCIL, talvez, experimentar uma dificuldade moderada.

Ao que parece, o XXIIº Exame da OAB pode estar neste grupo. Leia sobre nossa previsão:

- Como será a próxima prova da OAB? [09.03.2017]

No mais, foi uma prova de exaustão. Veja que as questões de CDC tinha cada uma quase 20 linhas de enunciado, ou seja, quase uma redação interpretativa. A mudança da ordem, certamente, também deve ter embaralhado a cabeça da maioria que busca resolver primeiro ÉTICA. Até achar as questões gera dúvidas do tipo “será que mudaram não só a ordem das questões como o número em cada disciplina?”.

Já li relatos na internet de gente que ficou indignada com esta alteração. Também achei descabida. A pergunta que fica agora é: serão que irão alterar em toda “santa” prova ou vão manter este novo formato? Realmente, a OAB e FGV nos pegaram de surpresa!

Os professores da Saraiva Aprova estão analisando a prova para verificar se há candidatas a serem anuláveis. Em breve, iremos passar uma posição. [ATUALIZADO] XXII Exame OAB: questões anuláveis

[ATUALIZADO] Gabarito preliminar: clique aqui.

6 meses

Uma coleção mais que completa para 2ª fase? Mais atualizada do mercado, há poucos dias lançada no mercado editorial? Que traga não só MODELOS DE PEÇAS, como também o seu passo-a-passo, peças comentadas e questões discursivas comentadas de provas anteriores, além de teoria e as principais súmulas que podem cair na sua prova? Clique na imagem abaixo e saiba mais!

completaço 2 fase

Confirmada: a 3ª fase da OAB vem aí!

Comentários (27)

esqueceramFontes fidedignas “mandaram” avisar que a OAB irá endurecer a partir do XXVº Exame de Ordem, ou seja, o primeiro exame de 2018. Dizem tais pessoas, todas com trânsito livre entre os corredores do Conselho Federal, que a profissão de advogado irá desaparecer caso a OAB não faça alguma coisa contra tantas vagas em faculdades de Direito. Pior que isso, há dezenas de pedidos represados no MEC desde 2013, quando não se permitiu mais a abertura de cursos de Direito. Provavelmente, é uma AMEAÇA da OAB à avalanche de novas vagas.

Assim, dentre as possibilidades, praticamente, certas, a inclusão de uma 3ª fase para o Exame da OAB é seguir a tendência do que os grandes concursos já praticam, uma fase oral. Concursos para juiz, MP, defensor público, entre outros, exigem a prova de tribuna. Portanto, estaria dentro das expectativas dos futuros examinandos. O debate parte do pressuposto que se para concursos para magistrado, promotor, delegado e defensor há uma terceira prova, geralmente, oral, porque não para ser advogado?

Trazem ainda que esta fase oral seria também baseado na disciplina optativa para 2ª fase, cujo conteúdo programático que poderia ser cobrado seria daqueles pontos já previstos no edital, baseado apenas num único questionamento, visto que irá gerar muito trabalho para quem irá avaliar se fosse mais de um. A banca FGV já teria participado de reuniões com a OAB para viabilizar a terceira fase sem aumentar o valor da inscrição.

A ideia também está baseada na “defesa” do TCC que o bacharel de direito já está acostumado ao final do curso, por isso, não haveria nenhum prejuízo. Ao que parece, tentaram implementar em março de 2015, mas não teve apoio da maioria do Conselho da OAB. Agora, parece não haver mais empecilhos depois que mudou a direção do Conselho Federal e seccionais da Ordem.

Quem não passou até agora, que invista TUDO que pode para ser aprovado até o final do ano.

O que entendo disso?

Uma “homenagem” do blog para o dia da mentira, pois esta é uma das mais “deslavadas” que convivo desde sempre, mas que muitos gostam de passar o “terror” nos seus alunos ou colegas. Este é, sem dúvida, um dos maiores BOATOS de todos os tempos para OAB. Nunca se diga “nunca”, mas neste caso, duvido muito que isso um dia irá acontecer. Qual razão? A OAB não tem gente suficiente para avaliar um prova oral para milhares e milhares de examinandos.

ps. em sem perder a piada, ainda uma 4ª fase estaria sendo cogitada: prova física de carregar processos subindo 10 andares no foro…

[originalmente publicada em 1º/04/2015 e atualizada para 2017]


Compartilhe com seus amigos a dica da única plataforma de estudos que personaliza a preparação para Exame da OAB conforme as habilidades de cada aluno. Chegou Saraiva Aprova, a plataforma da Editora Saraiva. Clique na imagem e saiba mais!

Saraiva Aprova FB

Semana final antes do Exame da OAB: o que fazer?

Comentários (2)

Sprint Final-2

Finalmente, chegamos a última semana antes da aplicação da prova da 1ª fase do Exame da OAB. – “Finalmente” professor? Sim, enfim, estamos às vésperas da prova. Explico.

Há dois grupos de acadêmicos que chegam à última semana com pensamentos e expectativas diferentes: [1] GRUPO DOS ANSIOSOS e [2] GRUPO DOS ATRASADOS.

O primeiro grupo não aguenta mais estudar em razão do longo período que vem trazendo sua preparação, inclusive, pode ser em razão de reprovações anteriores, portanto, não suporta mais ouvir ou ler “exame da OAB”. Muitos deste grupo admitem que não estão preparados, por isso, ficar levando esta agonia por mais tempo é um pesadelo que não desejam mais enfrentar.

O segundo grupo trata de examinandos que tem convicção que precisavam de BEEEEM mais tempo para estudar, seja porque começaram tarde, seja porque demoraram para engrenar. Ou seja, estão atrasados na preparação. Diferente dos ansiosos, desejavam mais tempo para fechar os estudos.

De qualquer sorte, o tempo é igual para ambos os grupos. E o que fazer?

1 SEMANA

Não canso de repetir: maratonistas experientes e vitoriosos acumulam fôlego e energia para os últimos quilômetros do percurso. Lembre, uma maratona traz 42 km (e  195 metros) de trajeto! Portanto, a preparação e execução precisa ser muito bem pensada e planejada. O sprint final, ou seja, aquele momento de acelerar e investir tudo que pode para chegar ao pódio é a nossa última semana antes da prova.

O que fazer? Invista em MAIOR CARGA horária de estudos, de leitura, de resolução de questões e vídeoaulas. Se você precisa também direcionar os estudos para determinada disciplina, que se invista em ÉTICA, a rainha das disciplinas, porque gabaritando ela pode pavimentar a sua aprovação. Se não tem a mesma atração em razão do número de questões (Ética tem 10), CDC e ECA são as “queridinhas” na prova, porque estas três estão no PÓDIO de maior aproveitamento segundo a FGV.

Assim, é possível gabaritar tanto CDC como ECA, disciplinas que apesar de terem 2 questões cada, estão representadas por um único texto legislativo [claro e sem dificuldades e cheio de conceitos], sendo que os temas se repetem.

- E o professor, o que fazer no sábado?

Parece que sábado, véspera da prova, é o patinho feio da preparação. Mas não é! É dia de CONCENTRAÇÃO. Voltando para o mundo esportivo, o que fazem os atletas um dia antes da prova? Retiram-se para concentrar. Para quem gosta de futebol, já sabe que os jogadores vão para um hotel ou algum lugar sem acesso de torcedores, familiares ou imprensa para… CONCENTRAR!

Por isso, se me perguntam se é válido participar dos eventos de VÉSPERA de prova que muitos preparatórios fazem, minha resposta é… NÃO! Mesmo que o evento tenha ótimos propósitos, é inevitável que traz dispersão também. Dessa forma, recomendo eventos com antecedência segura para alcançar todos os benefícios propostos.

Assim, o sábado deve ser PRODUTIVO com foco total para o dia seguinte.

Você ainda pode aproveitar o conteúdo da Maratona Saraiva Aprova, que foi AO VIVO no último sábado dia 25/3, e que está sendo retransmitido pelo site do próprio evento. Foram 11 horas de conteúdo PREMIUM, com mais de 10 mil inscritos. É GRÁTIS. É da Editora Saraiva. É ONLINE. Clique aqui [ou na imagem abaixo] e ÓTIMA MARATONA!!

Saraiva_Maratona-08

Fim dos concursos públicos com a nova lei da terceirização?

Comentário (1)

emoticon-surpreso

Em 48 horas após a aprovação do projeto de lei que libera a terceirização inclusive para atividades-fim, as redes sociais tomaram de assalto este assunto. Engraçado que um dia antes todo mundo falava (e julgava) sobre JBS, Friboi, Sadia, etc. Hoje, se a CLT foi rasgada, ou se os empregos com carteira acabarão como também se os concursos públicos serão afetados e como.

Pois bem, respondendo objetivamente a pergunta que trata este post: NÃO será o fim dos concursos públicos.

E como justificando minha resposta com a seguinte situação. Como nós sabemos, hoje é possível a terceirização da mão de obra apenas nas atividades-meio, ou seja, que não seja objeto principal da sociedade empresária. Assim, numa escola, os professores (atividade-fim) devem ser empregados, enquanto tudo mais pode ser através de terceirização.

Pois bem, o mesmo acontece na iniciativa pública. Ocorre que você já deve ter visto em tantos editais da vida que há vagas em concursos públicos de carpinteiros, motoristas, ascensoristas, tratoristas, limpeza, técnicos de serviços gerais, enfim, há uma gama de possibilidades para concursos que exigem apenas o ensino fundamental. Basta clicar no GOOGLE: “concursos e nível fundamental”.

Se pararmos para observar, grande parte destas vagas são destinadas à atividade-meio. Pergunto: se era possível terceirizar esta prestação de serviço, porque as entidades públicas não contratam particulares para realizar tais tarefas? Provavelmente, a prestação de serviços de limpeza e segurança é realizada por empresas contratadas, mas e o restante?

Puxe a sua Constituição Federal e dá uma lida nisso:

Art 37. (…) II – a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração

O caput do referido artigo trata da “administração direta e indireta” dos três Poderes e nos níveis federal, estadual e municipal. Lembra da pirâmide de Kelsen? Quem está no topo? Pois é, a Constituição Federal.

Então não acredito no terror que muitos estão pregando que os concursos públicos irão acabar. Querem acabar? Então aprovem uma PEC, mas não uma lei. Aliás, não aprovem nada, porque os concursos públicos são a última instância do que, mesmo mal, o Estado-democrático sobrevive.

Quer saber? Mantenha o foco nos seus estudos, porque logo a sua aprovação irá chegar!

Agenda OAB

XXII Exame de Ordem Unificado

  • 31.01.2017

    Publicação do edital

  • 31.01.2017
    a
    10.02.2017

    Período de inscrições

  • 02.04.2017

    Prova Objetiva 1ª Fase

  • 17.04.2017

    Resultado preliminar 1ª Fase

  • 17.04.2017
    a
    20.04.2017

    Prazo recursal 1ª Fase

  • 03.05.2017

    Gabarito definitivo 1ª Fase

  • 28.05.2017

    Prova Dissertativa 2ª Fase

  • 04.07.2017

    Resultado final 2ª Fase