Chega de fake news sobre Exame de Ordem!

Compartilhe:

O Exame de Ordem é uma expressão do mérito. Uma demonstração de que há não só uma história de empenho e dedicação como também de conhecimento, domínio de conteúdo e controle de raciocínio lógico-jurídico.

É uma prova que avalia, sem a menor sombra de dúvida, conhecimento. Ela avalia, nos moldes de provas para carreiras jurídicas, o conhecimento do candidato, com o nítido propósito de verificar se existe um domínio adequado de conhecimento para o exercício da profissão. Dizer que a prova não avalia é uma mentira, completamente divorciada de qualquer justificativa técnico-pedagógica.

É uma prova que protege a imagem da advocacia como profissão, protege o próprio advogado de cometer equívocos primários e ser responsabilizado civilmente por isso e protege, acima de tudo, as pessoas que precisam e acreditam no trabalho da classe.

Acabar com o Exame de Ordem é querer, sem a menor sombra de dúvida, destruir a profissão. Destruir os direitos dos cidadãos e inviabilizar a próprio funcionamento do Poder Judiciário.

A prova exige mérito. A prova exige estudo. A prova exige conhecimento. Não há nada de errado nisso e jamais poderá a isso ser associado qualquer tipo de demérito.

O Exame de Ordem é necessário diante de um sistema educacional falido, irresponsável e construído exclusivamente para proporcionar lucros assombrosos a mantenedoras que não se acanham em estabelecer com os alunos um horrendo “pacto da mediocridade”, onde uns fingem que ensinam e outros fingem que aprendem. Se este é o pacto, que cada um arque com as consequência de suas escolhas.

O Exame de Ordem é inegociável como sistema garantidor da higidez de TODO o Poder Judiciário e não só, como muitos incautos acham, da advocacia.

#ExamedeOrdemFundamental

 

PS. O texto acima [não é meu, mas validei antes da sua aprovação] também foi publicado no blog EXAME DE ORDEM como parte de um movimento em defesa do Exame da OAB. A própria OAB anunciou dias atrás uma nova Comissão do Exame de Ordem [clique aqui] e que pretende fazer em muito breve uma reunião para avaliar a prova.

“A coordenação deve debater, ainda neste semestre, com professores as mudanças curriculares do curso de Direito e os impactos no Exame. Também vamos realizar um evento para debater o Exame de Ordem”, explica José Alberto Simonetti – presidente da Coordenação Nacional do Exame de Ordem.

Enquanto isso, estudem para serem aprovados no PRÓXIMO Exame da OAB.

#ExamedeOrdemFundamental

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *