Ex-concurseiro abre hamburgueria e se torna sucesso regional

Compartilhe:

O primeiro capítulo do livro Poder da Aprovação: Coaching + Mentoring para OAB e Concursos (Editora Saraiva) tem a seguinte indagação: Minhas dúvidas existenciais: compro uma bike ou faço Exame da OAB ou concursos públicos. Bem que poderia ser: (…) abro uma hamburgueria ou faço (…).

Na última parte do livro, volto a questionar à (falta) vocação e as encruzilhadas depois de uma aprovação ou reprovação na OAB ou em concursos públicos. Não é para menos, porque o livro é baseado em muitos fatos reais de pessoas próximas, conhecidas ou mesmo de lições que a imprensa informa.

O caso mais recente é do Hélio Pacheco, formado em Direito e ex-concurseiro, que o jornal Zero Hora – ZH trouxe em suas páginas [clique aqui para matéria completa].

Resumidamente, o nosso herói (por ter assumido a condição de concurseiro e depois de empreendedor, ambas merecem muita coragem) confessa na reportagem que era “concurseiro profissional” e que depois de bater na trave em algum certame, resolveu mudar o seu destino para a culinária.

Em outras palavras, ele DESISTIU de ser concurseiro. Infelizmente, este verbo DESISTIR é considerado um “palavrão” para a maioria dos concurseiros, pois envolve fracasso, fraqueza, etc. O estudar até passar acaba se tornando uma obsessão, uma cegueira que ignora tantas outras habilidades pessoais, o que é um grande ERRO.

O fato é que o “gosto da cozinha” acabou levando o ex-concurseiro para a abertura de uma hamburgueria, a SEVERO, com apoio de financiadores em Porto Alegre/RS. O sucesso veio com o boca-a-boca, inclusive meu, porque posso me considerar um frequentador assíduo do lugar pela excelências de seus hambúrgueres. Então, abriu um ponto ali, outro acolá, juntou outro investidor, enfim, o negócio prosperou a ponto do desejo de se tornar uma marca nacional.

Se vai ou não, são outros 500. A importância da matéria é contextualizar com o desejo – muitas vezes – reprimido de muitos concurseiros que estão esgotados de estarem numa jornada longa de provas e estudos de “dar uma pausa” para refletirem ou mesmo partir para um PLANO B.

Muitos podem não imaginar que um “prazo” para se tornarem concursados é, no mínimo, dois anos, dependendo da altura dos sonhos. Eu fui aprovado e nomeado num concurso depois de 1 ano e meio de preparação, com muitas derrotas e vitórias (aprovações, mas sem classificação suficiente). E era para advocacia pública de uma estatal gaúcha, portanto, nada tão espetacular assim, mas era o meu objetivo [depois de 5 anos fui para iniciativa privada].

Sempre conto a história do lenhador. Não adianta querer derrubar todas as arvores num único momento, é preciso parar e afiar o machado diversas vezes para ter efetividade. Ocorre que o concurseiro “não tem” tempo para parar e avaliar seus resultados e nem pensar nas possibilidades caso a aprovação não venha. É PRECISO saber PARAR e, mesmo, DESISTIR.

Não é “feio” desistir ou mudar de plano, se você prefere enxergar neste prisma positivista. Vejo muitos ex-alunos de concursos e OAB que estão mais felizes hoje com suas novas profissões do que quando respiravam o Direito, por exemplo. E quais profissões seriam essas? Designer de joias, sommelier de vinhos, cervejeiros, consultoras de beleza, blogueiras, designer de interiores, sócios em empresas de eventos infantis, chefes de cozinha, turismólogo, motorista de aplicativos, produtores musicais, enfim, o rol é muito grande.

Muitos dirão: “Ué, então perderam tempo fazendo faculdade de Direito”. Claro que não! Se você consultar todos eles, dirão que foi o necessário para que levassem à realização da felicidade atual. Se não tivessem feito a faculdade, talvez não tivessem descoberto suas habilidades.

Portanto, se o texto fecha com você, ÓTIMO! É o momento de afiar o machado. Refletir sua trajetória até aqui e avaliar onde você está e onde você deseja chegar. Mas de fato, será que este é o melhor destino?

Lançamos recentemente o curso Desperte seu Poder da Aprovação. É um curso ONLINE sobre o livro Poder da Aprovação. No momento, há programas para 1ª  e 2ª fases da OAB [quer saber mais, clique aqui]. Se você deseja coaching para concursos, indico meu módulo no curso da profª Licínia Rossi [acesse aqui].

 

Comentários

  1. ACHO QUE MUITA GENTE ,Q PRESTA CONCURSO A VÁRIOS ANOS ,DEVERIA VER SUA TUA HISTÓRIA.
    SOU CONCURSEIRA E TB PENSO EM UM MONTAR UM NEGÓCIO ,Q GOSTO, COMO UM PLANO B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BUSCA RÁPIDA

Visitantes

2.745.306 desejam passar na OAB e em Concursos

Redes Sociais

Agenda OAB

XXV Exame de Ordem Unificado

  • 23.01.2018

    Publicação do edital

  • 23.01.2018
    a
    02.02.2018

    Período de inscrições

  • 23.01.2018
    a
    02.02.2018

    Período de solicitação de isenção da taxa de inscrição

  • 05.03.2018

    Resultado definitivo da análise de solicitações de isenção da taxa

  • 08.03.2018

    Prazo limite para pagamento da taxa de inscrição

  • 02.04.2018

    Divulgação dos locais de realização da prova objetiva

  • 08.04.2018

    Realização da 1 ª fase (prova objetiva)

  • 08.04.2018

    Divulgação do gabarito preliminar da prova objetiva

  • 23.04.2018

    Resultado preliminar da 1ª fase

  • 24.04.2018
    a
    27.04.2018

    Prazo recursal contra o resultado preliminar da 1ª fase

  • 08.05.2018

    Divulgação do gabarito definitivo da 1ª fase

  • 08.05.2018

    Divulgação do resultado final da 1ª fase (prova objetiva)

  • 21.05.2018

    Divulgação dos locais de realização da prova prático-profissional

  • 27.05.2018

    Realização da 2ª fase (prova prático-profissional)

  • 27.05.2018

    Divulgação do padrão de resposta preliminar da prova práticoprofissional

  • 19.06.2018

    Divulgação do padrão de respostas definitivo e do resultado preliminar...

  • 20.06.2018
    a
    23.06.2018

    Prazo recursal acerca do resultado preliminar da 2ª fase

  • 03.07.2018

    Decisão dos recursos acerca do resultado preliminar e divulgação do...