Medo da reprovação, como superar?

Compartilhe:

Recebo muitos contatos que, em regra, trazem um problema que insiste em atrapalhar os estudos: o medo da reprovação. Num deles, respondi de forma que gostaria de compartilhar publicamente com vocês. Não vou colocar o texto que recebi, pois seria facilmente identificável.

Se você tem MEDO DE REPROVAÇÃO, servirá a resposta, perfeitamente.

“Olá [….], seja bem-vinda!

Apenas para você se sentir segura, nesta rede de proteção, só hoje respondi três contatos que diziam a mesma coisa: tinham MEDO de reprovar.

Você pode até estranhar, mas o MEDO é bom. Os evolucionistas não cansam de repetir que se não tivéssemos medo dos dinossauros, não estaríamos aqui trocando estas mensagens. Este mesmo MEDO também pode ser visto por outra dinâmica, a do DESAFIO. Lembre que você não está diante de dois botões, e que se apertar o errado o MUNDO VAI EXPLODIR. É apenas uma prova [da OAB] e ela se repete 3x por ano.

Se o medo lhe atrapalha, sejamos RACIONAIS, então. Tenho medo de muitas coisas, mas tento racionalizar e ficar atento quando pode se tornar estressante.

O que importa? Preparar-se. O resto pode atrapalhar. Reprovar faz parte da vida. Já reprovei e chorei, p.ex., quanto tentei entrar no mestrado pela primeira vez. Já reprovei mais de 10x quando tentei entrar no vestibular de MEDICINA. Quando fui, finalmente, aprovado, vi que eu não gostava e fui fazer Direito.

As emoções influenciam mais do que gostaríamos, pois é difícil de aprender algo que não gostamos, mas faz parte. Beber remédio é ruim? É péssimo, mas nos acostumamos, porque precisamos. A vida é assim e precisamos nos acostumar: às vezes a gente vence, outras vezes a gente aprende.

A tática, sempre, quando o MEDO está atrapalhando é RACIOCINAR sobre ele. Medo de avião? É raciocinar que é o transporte mais seguro do mundo. Medo de cobra? Quem mora na cidade, é quase improvável que verá uma. E assim, sucessivamente. E em todas as hipóteses de coração a disparar, reflita e respire. Respirar de forma atenta, inspira, expira, seguindo este exercício até se acalmar.

Concluindo, não acredito muito na frase “tá com medo, vai com medo mesmo”, pois o medo é um sinal que deve ser respeitado, como um SINAL AMARELO do semáforo. Dependendo como está a velocidade, siga, mas se está quase fechando, pare. Refletir do porquê do medo é o melhor caminho, pois ele é apenas sintoma. Bons estudos!”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *