Poema barato

Compartilhe:

Te quero sempre assim,
Loucamente doida por mim.
Perfumada pelas flores do jardim,
Como um anjo querubim.
Sob o sol nascente de Pequim.

Jogo palavras ao vento,
Enquanto a métrica eu invento.
Versos perdidos pelo tempo,
Usucapindo o amor, eu lamento.
Julguei, julgando, jumento!

Quem faz, também diz,
Aponta para ponta do nariz.
E se a flecha passar por um triz,
Seja sorte, seja feliz.
Mas não diga que não fiz.

Poema barato é o meu chão,
Porque leio placa de caminhão.
Bula de remédio para coração,
E ouço sertanejo à exaustão.
Tesão e emoção terminam com “ão”.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BUSCA RÁPIDA

Visitantes

3.222.769 desejam passar na OAB e em Concursos

Redes Sociais

PDO CONNECTION ERROR: SQLSTATE[HY000] [2054] The server requested authentication method unknown to the client